Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS
Início do conteúdo da página

O Curso Formação de Professores Indígenas

Publicado: Quarta, 20 de Fevereiro de 2019, 16h34 | Última atualização em Quarta, 22 de Abril de 2020, 10h32 | Acessos: 9969
LICENCIATURA FORMAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS - FPI

UFAM / PROLIND/MEC

 

         O curso de Licenciatura Formação de Professores Indígenas da FACED é um curso regular/modular com duração de cinco anos, que busca formar, em nível superior, numa perspectiva intercultural e interdisciplinar, professores indígenas para atuar na 2ª etapa do ensino fundamental e no ensino médio, nas escolas indígenas, com habilitação plena nas áreas de Ciências Humanas e Sociais; Ciências Exatas e Biológicas; Letras e Artes. Atualmente o curso já formou três turmas num total de 125 professores indígenas.

  • Turma Mura (Município de Autazes) - Concluída em 2013
  • Turma Sateré-Mawé (Municípios de Maués e Barreirinha)- Concluída em 2018
  • Turma Munduruku (Municípios de Borba, Nova Olinda do Norte e Jacareacanga no Pará) - Concluída em 2018

 

Histórico do curso (Turma MURA)

 Desde que concluíram a última etapa do Magistério Indígena - Curso Mura Peara (iniciado em 1999 e concluído em 2003 – coordenado pela SEDUC/AM em parceria com SEMEC/Autazes)- os professores Mura, articulados pela Organização dos Professores Indígenas Mura (OPIM), tem buscado dar continuidade à sua formação. Esta busca se entrecruza com a trajetória do grupo de pesquisa “Formação do(a) educador(a) no contexto amazônico”, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação, da Faculdade de Educação, da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), que a partir de 2002, desenvolveu atividades de pesquisa e formação continuada, junto aos professores Mura do Município de Autazes/AM.

Foi neste contexto que, em julho de 2005 - data do lançamento do Edital do Programa de Apoio à Formação Superior e Licenciaturas Indígenas (Prolind), pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), através da Secretaria de Ensino Superior (SESu) e Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD)- a UFAM, por solicitação da OPIM, concorreu e teve proposta aprovada no Eixo 2 – Elaboração de Licenciaturas.

No dia primeiro de maio de 2008 o Curso teve início com a “aula inaugural”, proferida pelo Prof. Gersem dos Santos Luciano, do povo Baniwa, do Alto Rio Negro e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE).

 

Crédito: Carlos Humberto Alves Corrêa

Alunos do Curso de Licenciatura Específica Formação de Professores Índígenas – Turma Mura, Autazes- AM – mai./2008.

 

Onde o cursofuncionou  (Turma MURA)

 

As aulas da etapa de Formação Geral (1º e 2º ano do Curso), com sessenta alunos, aconteceram em uma das salas da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Autazes - especialmente preparada para tal fim. Na etapa de Formação por Grandes Áreas (3º e 4º ano do Curso) - momento em que os licenciandos se dividem entre as Áreas – as aulas foram ministradas em três salas de aula no mesmo prédio da Secretaria. É importante destacar que existe na estrutura administrativa da SEMEC de Autazes um Setor Específico de Educação Escolar Mura (SEEM), cujo quadro técnico é composto por professores indígenas.

 

Histórico do curso (Turma MUNDURUKÚ AM/PA)

Em construção

 

Onde o curso funcionou? (Turma MUNDURUKÚ AM/PA)

 

Em relação à turma Mundurukú, as aulas foram ministradas no município de Borba - AM, nas dependências do Centro de Formação Mater Christi, para um total de 48 alunos do povo Mundurukú do Amazonas (região de Borba) e do Pará (região do Tapajós). Em 2014 com a construção do Centro de Formação de Professores Indígenas, localizado nas dependências da Fazenda Experimental da UFAM no antigo Km 38 da BR 174, as atividades de ensino passaram a ser realizadas no referido centro e os alunos passaram a se deslocar para Manaus contando com o auxilio da Prefeitura de Borba no deslocamento.

Assim como ocorre na SEMEC de Autazes, existe na estrutura organizacional da Secretaria de Educação de Borba um Setor Específico de Educação Escolar Indígena que atende o conjunto de escolas e professores indígenas Mundurukú.

 

Crédito: Elciclei Faria dos Santos e Fabiana de Feitas Pinto

Alunos do Curso de Licenciatura Específica Formação de Professores Índígenas – Turma Mundurukú, AM/PA– mar./2011.

 

 

Crédito: Elciclei Faria dos Santos e Fabiana de Feitas Pinto

Alunos do Curso de Licenciatura (Turma Mundurukú, AM/PA) realizando atividade acadêmica proposta na Disciplina Fundamentos da Educação I –– mar./2011.

Turmas em andamento:

  • Turma Médio Solimões - As aulas ocorrem no Centro de Formação de Professores Indígenas - Fazenda Experimental da UFAM
  • Turma Alto Rio Negro - As aulas ocorrem no Município de São Gabriel da Cachoeira;
  • Turma Alto Solimões - As aulas ocorrem no Município de Benjamin Constant;
  • Turma Madeira Manicoré-  As aulas ocorrem no Município de Manicoré;
  • Turma Purus Lábrea - As aulas ocorrem no Município de Lábrea.

 

 O Departamento de Educação Escolar Indígena - DEEI é o responsável pelas disciplinas do Curso, que também conta com a participação de professores de Diversos departamentos da UFAM, devido seu carater interdiscipinar.

 

Fim do conteúdo da página